Bem Vindos ao Fórum Mania Hamster! Dicas, Ajuda, Tópicos & Cia!, D


    Concurso - História de um Roedor

    Compartilhe

    JosyAngelz
    Admin

    Mensagens : 9
    Data de inscrição : 13/11/2011
    Idade : 20
    Localização : Rio de Janeiro - Brasil

    Concurso - História de um Roedor

    Mensagem  JosyAngelz em Dom Nov 13, 2011 3:09 pm

    Olá amigos leitores! Very Happy

    Conte para nós uma história! Nosso Concurso chegou a todo vapor, todos poderão escrever um testo da história de seu Hamster, o primeiro texto vencedor foi postado no blog, postarei aqui também:

    A vida de Hamtaro, a morte de um amigo.

    Em memória do doce amigo da Madye, descanse em paz Hantaro. Por Natália.

    “Eu morava numa loja de animais, com alguns irmãos e meus pais. Um dia, uma menina ficou olhando pra mim, e falou para a vendedora:
    - Quero este.
    A vendedora me pegou e me colocou numa gaiola, e a menina me levou para a casa dela. No começo eu estranhei, era um ambiente novo, diferente, mas aconchegante. Logo me acostumei com minha dona, e com minha nova casa. Minha dona era muito legal comigo, ela brincava comigo todos os dias, cuidava de mim.
    Minha dona se chamava Madeleine, Madye, como todos a chamavam. Ela tinha 9 anos quando me escolheu para viver ao lado dela. Quando perguntaram a ela como seria o meu nome, imaginei nomes bobos, como bola ou pipoca. Não queria ter o nome de uma comida ou brinquedo. Mas fiquei feliz quando ela finalmente anunciou:
    -Será Hamtaro, o corajoso e destemido!
    Minha dona era muito boa comigo, ela me deixava passear pelo quarto dela, eu ficava solto por lá à noite, quando ela ficava acordada ao meu lado brincando comigo, me vigiando. Eu dormia na fresta entre a parede e a mesinha de cabeceira, aconchegado em meio a pedaços de papel higiênico e algodão.
    Me lembro quando fiz xixi no colo dela, e ela começou a rir. Me olhou e disse:
    -Seu danadinho! Mas você é fofo.
    Sempre tive tudo o que precisei, inclusive amor. Ela me tratava com carinho e respeito, não brigou comigo quando eu a mordi, acho que ela sabia que no fundo era sem querer. Parecia que eu a fazia esquecer os problemas, as angústias, a tristeza ou qualquer outro sentimento ruim.
    Percebi, que ela me amava muito. Ela fazia de tudo por mim, cuidou de mim quando machuquei minha patinha. Ela ficou sem dormir até que eu melhorasse.
    Me lembro quando ela me apresentou para suas amigas. Quando me mostrou para uma garotinha de dois anos que falava:
    -‘Rataro’...
    Também me lembro de quando ela me deu uma amiga, chamada Haly, que mais tarde virou minha namorada. Ela teve 12 lindos bebês, mas ela os matou e comeu, por motivos naturais, talvez ou bebezinhos estivessem muito fracos, ou machucados, então ela fez o que fez.
    Eu já tinha quatro anos, quando um dia, não pude me levantar. Acordei fraquinho, minha dona permaneceu ao meu lado, todo o tempo, como sempre. As lembranças passaram na minha cabeça como um filme, quando finalmente soube que minha vida já estava no final.
    Minha dona chorava, mas eu não entendi certo o porquê, já que eu havia tido uma vida feliz ao lado dela. Então vi que ela gostava mesmo de mim, e não queria que eu partisse. Mas nada eu podia fazer. Ela me acariciou de leve, seus olhos retratavam paz. Aquela menininha não estava mais lá, no seu lugar havia uma garota de 13 anos.
    Agradeço a ela, por ter tido uma vida feliz. E parti, então, para o Céu dos Roedores.

    Autora: Natália

    Escrevam seus textos, ainda teremos mais 3 vencedores! Enviem para o email:

    chiarachiocca@gmail.com

    Boa sorte! Wink

      Data/hora atual: Qui Set 21, 2017 10:01 am